Publicidade USK Callan


Conhecida como “olho preguiçoso”, a ambliopia é uma disfunção oftalmológica difícil de detectar e ocorre principalmente em crianças. Por isso, é importante que sejam feitos exames a partir dos três anos de idade, como explica o médico oftalmologista Carlos Aterje.

Mesmo com a formação ocular perfeita, pode ser que a visão seja diferente de um olho para o outro. A causa é neurológica, o que dificulta que os pais percebam o problema. “As chances são maiores se houver histórico de estrabismo na família. Além do teste do olhinho, feito com recém-nascidos, é importante levar a criança ao oftalmo a partir dos três anos, para verificar se tem algum problema e já começar o tratamento”, esclarece Aterje.

Como a visão fica boa em um olho e deficiente no outro, a tendência é que o cérebro isole as informações que chegam do lado ruim. Assim, a visão não se desenvolve. Até os sete anos de idade é possível tratar a ambliopia de forma simples, colocando um tampão no olho bom e forçando o cérebro a captar as informações enviadas pelo outro.

A ambliopia também é comum em crianças estrábicas. Nesses casos, uma cirurgia pode corrigir o estrabismo e evitar a distorção visual. Caso haja algum erro de refração, como miopia, hipermetropia e astigmatismo, é importante corrigir com óculos ou lentes de contato.

O Centro Oftalmológico Carlos Aterje fica na rua Ceará, 188, Centro de Poços de Caldas. Mais informações pelo telefone (35) 3722-2808.

Publicidade