Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade

Olá queridos (as)! Eu sou a Daphne, psicóloga, coach, MBA em Gestão de Pessoas, consteladora familiar e, sobretudo, uma entusiasta pela busca da felicidade a partir do autoconhecimento. Ah, e eu adoro utilizar cinema para falar disso!

Quem assistiu ao filme “Mulher Maravilha” acompanhou a história de como Diana, a princesa das Amazonas, se tornou a famosa heroína. Vou elencar alguns fatos ilustrados no filme (leve spoiler) que comprovam a afirmação do título desse artigo. Vamos lá!

1. Notamos que desde criança ela foi criada sem saber sua origem, quem de fato era ela, pois sua mãe queria protegê-la, temendo que quanto mais ela soubesse sobre si, mais fácil seria para seu meio-irmão e maior rival Ares (deus da guerra) encontrá-la. Tal entendimento está presente no coaching, considerando que o autoconhecimento promove empoderamento e, uma vez que a pessoa toma consciência de seu poder, destaca-se dos demais por conseguir fazer coisas surpreendentes. Assim, é mais notada.

2. Mesmo sem saber sua origem e destino, quando criança sempre estava curiosa e interessada em aprender coisas novas, postura indispensável do coachee (aluno) para construir novas possibilidades e alternativas, pois somente assim conseguirá resultados diferenciados.

3. O treinamento ao qual sua tia a submeteu, transformando-a na melhor guerreira entre as amazonas, promoveu sua alta performance, que é o objetivo do coaching.

4. A coragem e determinação da Mulher Maravilha em ir ao encontro de seu maior inimigo para enfrentá-lo demonstra sua segurança interna, firmeza e clareza de seus valores e propósitos, importante etapa do trabalho de coaching.

Mas essas passagens são apenas indícios, pois a prova cabal do inquestionável processo de coaching da Mulher Maravilha é o que ocorre na sua luta final com Ares, quando ela finalmente descobre quem é e qual a sua verdadeira missão de vida. Ela não se deixa contaminar pelo lado sombrio e se conecta com o lado luz do ser humano. Assim, ganha mais força, se tornando mais poderosa e conseguindo derrotar Ares.

Conforme ensinamentos do coaching, potencializar a luz interna e perceber a sombra somente como um ponto de atenção e aprendizado para gerar mais luz, reforça a visão positiva e exalta a supremacia do bem, tanto no interior pessoal, quanto no mundo externo. Compreender isso é como receber um chamado para que as pessoas se conscientizem de seu papel e responsabilidade social e se sintam capazes de superar seus bloqueios, tornando-se mais íntegras e capacitadas para propagar o bem.

Assim como a Mulher Maravilha, todos nós temos poderes que precisam ser descobertos, praticados e aprimorados. Permita-se vivenciar o melhor de você! Há um (a) super-herói/heroína em cada um de nós!

* Daphne Rajab Cardia é psicóloga, formada na Universidade Vila Velha, MBA em Gestão de Pessoas pela FGV, Coach certificada pelo Instituto Brasileiro de Coaching, Consteladora Familiar Sistêmica formada pela Hellinger Schule Brasil, especialista em desenvolvimento pessoal e profissional. Tem como missão de vida ajudar as pessoas a tomar consciência de si mesmas e alcançar a vida plena.