Publicidade
Crime cometido pela Vale aconteceu dia 25 de janeiro

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Barragem de Brumadinho da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) continua nesta quinta-feira (28) a fase de interrogatório de testemunhas e pessoas envolvidas na investigação da tragédia ocorrida em 25 de janeiro e que contabiliza mais de 300 vítimas, entre mortos e desaparecidos. A audiência começa às 9h30.

De acordo com o presidente da comissão, deputado Gustavo Valadares (PSDB), o objetivo é tomar conhecimento de como estão as investigações policiais, a coleta de informações e documentos e os trabalhos desenvolvidos pelo Ministério Público e Defensoria Pública. Serão ouvidos representantes das Defensorias Públicas do Estado e da União, o Ministério Público do Trabalho e a Superintendência Regional do Trabalho.

Publicidade

Gustavo Valadares explicou que após as oitivas com os profissionais de segurança pública, a CPI passará a ouvir testemunhas e convidar ou convocar outras pessoas que possam contribuir para a elucidação do caso. “Para que possamos atingir o objetivo da maneira adequada, a comissão achou por bem ouvir, nessa primeira fase, os entes que estão envolvidos na força-tarefa”, explicou.

O deputado falou que são três os compromissos da CPI: definir as causas do rompimento da barragem; reunir provas e cobrar punições, casos haja responsáveis; e acompanhar a reparação de danos e assistência aos atingidos pela tragédia.

*Com informações da assessoria de imprensa/ALMG

Publicidade