Publicidade

O número expressivo de trotes contra o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência  (SAMU) de Poços de Caldas, divulgado recentemente pela prefeitura, chamou a atenção da Câmara Municipal. O vereador Lucas Arruda (Rede) apresentou um projeto de lei que dispõe sobre a aplicação de advertências formais e até multas para os que praticam trotes.

Segundo os números divulgados, em 12 anos de serviços prestados o SAMU de Poços recebeu 158.317 trotes, uma média de 36 ligações por dia. Com uma estatística tão surpreendente, o objetivo do parlamentar é também chamar a atenção sobre a importância da conscientização da população em geral, entendendo que os trotes podem causar grandes transtornos e até prejuízos aos cofres públicos.

De acordo com o projeto, advertências e multas seriam aplicadas aos proprietários de linhas telefônicas cujos aparelhos sejam utilizados para trotes contra o SAMU. Sendo identificado o número de onde se originou a ligação, o SAMU, através da Secretaria Municipal de Saúde, deverá encaminhar relatórios às empresas telefônicas para que as mesmas informem os nomes dos seus proprietários. Ligações feitas de telefones públicos serão anotadas separadamente para que seja feito um levantamento de incidência geográfica e posterior identificação pelo órgão competente. Em caso de primeira incidência, o responsável pela linha telefônica é penalizado com uma advertência formal. Quando se tratar de reincidência será aplicada uma multa ao responsável pela linha no valor R$ 204,50 (50 UFM’s).

“Os trotes causam um transtorno muito grande, porque geram maior demora para atender aquilo que realmente é uma demanda e causa até um deslocamento desnecessário, então isso é custo ao sistema de saúde, porque o SAMU recebe verba federal, estadual e municipal”, explica o vereador.

SAMU  em números

As atividades do SAMU em Poços tiveram início em dezembro de 2006. Hoje atende com três ambulâncias básicas, uma avançada e uma motolância.  Em 12 anos de funcionamento no município, o SAMU recebeu 634.319 ligações, uma média de 144 chamados por dia. Destas, 223.764 foram orientações via telefone. 98.016 ocorrências foram atendidas pelas ambulâncias básicas, e em 15.370 ligações a ambulância avançada foi deslocada. De todos os atendimentos, 142.080 foram clínicos; 8.868 obstétricos; 34.981 relacionados a traumas e 6.659 psiquiátricos.

Publicidade