Publicidade

 

 

Sargento Rodolfo, durante o trabalho de resgate de vítimas em Brumadinho (foto: divulgação)

Do dia 31 de janeiro a 7 de fevereiro, dois sargentos do Corpo de Bombeiros de Poços de Caldas integraram a primeira equipe do Sul de Minas, composta por 11 militares, a participar das buscas na tragédia em Brumadinho. Mateus Rodrigues e Rodolfo Silveira tiveram a difícil missão de tirar corpos de vítimas da lama que provocou uma das maiores tragédias da história do Brasil.

O sargento Rodolfo é atleta, faz bonito nas corridas de rua e montanha que participa. Ele já é visto pelos seus amigos, da turma de corredores “Pé de Pano”, como um grande exemplo de pessoa e profissional. Após fazer um grande trabalho em Brumadinho, ele despertou um sentimento de orgulho sem igual, sendo visto como um verdadeiro super-herói.  

Com exclusividade ao Poços Já Esporte e Bem-Estar, sargento Rodolfo conta que foi convocado devido a um curso que tinha feito ano passado chamado Brec (Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas), que serve de base para o que aconteceu em Brumadinho. O Militar, que também atuou na tragédia de Mariana, explica que, em nove anos de profissão, essa, com certeza, foi a experiência mais marcante.

“Foi uma experiência que me agregou muito profissionalmente, mas principalmente pessoalmente, porque uma coisa é você ver na mídia a destruição e outra coisa é estar lá na zona quente atuando. O que eu vi foi muita tristeza, não só humana, mas também ambiental, animais mortos, a natureza devastada”, relata sargento Rodolfo que, junto com o restante da equipe, teve a difícil missão de resgatar os corpos soterrados.  

“Fomos com a missão para fazer a recuperação de vítimas e a nossa equipe trabalhou com êxito. Abençoados por Deus, nós conseguimos recuperar alguns corpos, o que deu uma resposta a aquelas famílias que queriam fazer o velório de seus entes queridos, para que aquele luto tivesse um fim. Aquilo ali é um velório sem fim para algumas famílias. Se você perde um ente querido e não faz o sepultamento, no fundo você vai ter a esperança, mesmo que remota, que um dia aquela pessoa vai aparecer viva. O trabalho foi puxado fisicamente, mas principalmente psicologicamente. Tentei ser o mais profissional possível na hora que a gente se deparava com os corpos. Eles estavam em uma situação degradante, alguns em estado de decomposição avançado, com odores fortes. A própria lama cheirava mal. Era necessário preparo profissional e psicológico para lidar com aquilo. Não poderíamos nos deixar envolver emocionalmente, se não jogaríamos por terra nosso trabalho. Não que eu não ligue para a situação, mas se eu fosse ficar sentindo as dores das famílias, me envolvendo na história de cada um, eu não conseguiria atingir meu objetivo”, conta o sargento.

Amigo herói

Rodolfo, na foto com o número 131 no peito, virou o herói de seus companheiros de corrida (foto: divulgação)

A turma Pé de Pano é um grupo de amigos atletas, de várias assessorias esportivas, que gostam de correr juntos e compartilhar a amizade. O sargento Rodolfo é um Pé de Pano e hoje é o maior orgulho entre seus colegas.

“Quero expressar o orgulho que eu tenho pela amizade do Rodolfo, de ter conhecido na corrida uma pessoa tão especial, tão corajosa, com coração tão humano, que fez o melhor possível como profissional para estar lá ajudando vidas. Acredito que ele foi chamado pela competência profissional dele, pela coragem de fazer alguns treinamentos. Me emociona muito a admiração do meu filho por ele”, conta Valeska Figueiredo, mãe de Gabriel Figueiredo, de 6 anos, para quem Rodolfo é um grande herói, no mesmo nível daqueles que usam capas, dos filmes e das histórias em quadrinhos.  

“Eu gostei do tio Rodolfo ir lá em Brumadinho. Ele é muito corajoso e foi lá salvar as pessoas. Ele é um ótimo bombeiro e um grande amigo. Eu tenho muito orgulho dele. Para mim ele é um super-herói”, diz Gabriel, com toda a inocência de uma criança que está crescendo ao lado de bons exemplos.

Outra “Pé de Pano”, Carol Cagnani também valoriza o fato de ter um amigo que dá bons exemplos para seu filho. “Eu tenho orgulho do meu amigo bombeiro. Tenho um filho de oito anos que está aprendendo na escola sobre a tragédia de Brumadinho e hoje ele vê a figura do bombeiro como super-herói. Eu acho legal que essa geração está vindo com a conscientização da importância do meio ambiente e por mais que tenham super-heróis no cinema, o exemplo de super-herói para meu filho é um amigo bombeiro. Então, eu tenho orgulho de ter pessoas na minha cidade que foram para Brumadinho amenizar o caos causado pela ganância”, salienta Carol.

A turma de amigos corredores “Pé de Pano” (foto: divulgação)

Turma de elite

Na Turma “Pé de Pano” há grandes atletas, que sempre alcançam pódio nas competições. Entre eles estão Márcia Giseli, Elisângela Apolinário, Lucas Santos e Lucas Oliveira, entre outros.

Para Lucas Oliveira, em uma tragédia enorme como esta em Brumadinho é difícil encontrar razões para alguma celebração, mas os exemplos de solidariedade, dedicação e  heroísmo fazem acreditar que o sentimento humano ainda é maior que tudo.

“Tenho a honra de ter como amigo, companheiro de treinos e corridas, um desses heróis. Nosso amigo Rodolfo, bombeiro militar, atleta, que esteve em Brumadinho participando efetivamente desse árduo trabalho, abdicando de tempo com a família e seus projetos pessoais e esportivos. O exemplo de solidariedade dele é diário, mesmo em nossos treinos, provas, ele é sempre o primeiro a se prontificar no apoio, nas orientações sempre se preocupando com a segurança e bem estar de todos. Fica um grande abraço e meus parabéns pela atitude e dedicação em nome do próximo”, diz Lucas Oliveira.

Outro grande atleta de Poços, Lucas Santos parabeniza não apenas o amigo Rodolfo, mas todos os bombeiros envolvidos na missão em Brumadinho. “Quando a gente vê o pessoal indo para lá, mesmo não recebendo pagamento em dia, percebemos que, mais que um emprego, ser bombeiro é uma missão de vida. Eles têm a missão de resgatar vidas, trazer paz e esperança e é exatamente isso que nosso amigo foi fazer lá. Foram centenas de pessoas mortas e desaparecidas e a gente vê pelos noticiários quanta tristeza trouxe aquela lama, quantos sonhos e projetos foram enterrados e nossos amigos bombeiros, em especial nosso amigo Rodolfo, foram lá para trazer paz no coração dos familiares, dando a dignidade de dar um enterro digno para as vítimas. Que Deus possa abençoar esses bombeiros e eles possam ser reconhecidos por todos por esse trabalho tão bonito que eles estão fazendo lá”, espera Lucas Santos.

Com a chegada dos sargentos Mateus Rodrigues e Rodolfo Silveira a Poços na última sexta-feira (8), outro bombeiro poços-caldense, o soldado Felipe Morais Nogueira, foi para Brumadinho. Nos próximos dias mais dois militares da cidade seguirão para o local da tragédia continuar ajudando no resgate das vítimas.

Sargento Rodolfo representando Poços na Meia Maratona do Rio (foto: divulgação)

*A cobertura do Poços Já sobre a Tragédia em Brumadinho só é possível devido ao patrocínio das seguintes empresas: Centro Médico Oncológico (CMO), Construtora Horizonte, Embtech, Gatino Fitness,  Lab Tânia, Lavanderia Laundromat, Maní, New York Pub, Pizza na Roça, Poltrona 1 Turismo, PP Caponi, Pulsar, Sushi na Roça e Unifenas.

Publicidade