Projeto foi apresentado na segunda-feira (foto: Juliano Borges/Poços Já)

As recentes tragédias decorrentes do rompimento de barragens com rejeitos da mineração motivaram o deputado estadual Mauro Tramonte (PRB) a criar um projeto de lei que proíbe a construção de novas barragens a montante e aterros hidráulicos em Minas Gerais. O projeto foi apresentado na segunda-feira (4), durante a primeira reunião ordinária dessa legislatura, na Assembleia Legislativa.

O projeto também prevê o prazo de dois anos para que as estruturas desses tipos sejam descomissionadas pelas mineradoras, além de estipular a distância de dez quilômetros das áreas habitadas, para as novas barragens, com o objetivo de proporcionar a chance de fuga em casos de rompimento.

Tramonte também assinou os pedidos de instauração da CPI das Barragens. O primeiro documento protocolado neste sentido foi do Sargento Rodrigues (PTB), apoiado por todos os parlamentares. Agora, o deputado poços-caldense estuda a possibilidade de propor o próprio nome para compor a equipe da CPI.

Para o deputado estadual, a tragédia em Brumadinho foi anunciada. Mesmo depois do que aconteceu em Mariana, no ano de 2015, não houve mudanças significativas e, por mais que ambientalistas e especialistas avisassem, ocorreu mais uma vez. “Para mim, é a maior tragédia perpetrada pelo ser humano e contra o ser humano. Não é uma catástrofe natural, não é maremoto, não é terremoto, não é tsunami. Foi provocada pelo homem”, comenta Tramonte.

*A cobertura do Poços Já sobre a Tragédia em Brumadinho só é possível devido ao patrocínio das seguintes empresas: Centro Médico Oncológico (CMO), Construtora Horizonte, Embtech, Gatino Fitness,  Lab Tânia, Lavanderia Laundromat, Maní, New York Pub, Pizza na Roça, Poltrona 1 Turismo, PP Caponi, Pulsar, Sushi na Roça e Unifenas.

Publicidade