Publicidade

Que precisamos fazer a gestão do tempo, já sabemos. É preciso organização para conseguir cumprir as tarefas do dia, ser produtivo no trabalho, estar com os amigos e ainda ter tempo para momentos com a família. E se você trabalha com algo que exija criatividade, talvez acredite que a gestão de tempo não envolve esse processo também e que é melhor deixar fluir. Mas criatividade também é parte da produção e por isso precisa estar no pacote de tempo. Já é mais do que famosa a frase: 99% de transpiração e 1% de inspiração!

Afinal, não dá pra esperar a semana inteira até que aquela ideia de campanha publicitária apareça, sendo que o cliente pediu a solução para ontem, né? Então, como conseguir ser criativo e produtivo ao mesmo tempo? Bom, para encontrar uma solução de marketing mais eficaz é necessário propor o máximo de possibilidades possíveis e isso pode sim demandar tempo.

O que não pode acontecer é ficar esperando que a melhor saída apareça ou que a ideia esteja madura o suficiente para se tornar uma solução. Isso só vai fazer com que você gaste tempo sem que nada seja de fato produzido.

O ideal é colocar a mão na massa e, mesmo sem tanta inspiração, tentar resolver o trabalho. Talvez as primeiras criações não sejam tão boas, mas as últimas podem estar mais perto do resultado buscado. Tudo é parte do processo, até mesmo os trabalhos que não são aprovados. Todos entram em um sistema de avaliação e refinamento das ideias que ficarão.

O importante é não esperar até que você esteja “criativo o suficiente” e não deixar que a vontade de procrastinar seja maior. A criatividade está ligada à produtividade e não a uma ideia brilhante que aparecerá quando você menos esperar. Aliás, criatividade não é uma característica apenas da publicidade e do marketing. Ela pode estar nos vários segmentos, mas em forma de outras questões.

Em essência, em qualquer área, dois elementos são importantes para a criatividade entrar em ação: o tempo, um problema e a matéria prima-principal: informações. O tempo vai ser ditado por quem encomenda uma solução ou até mesmo um projeto, ou mesmo, sua auto-cobrança. As informações podem vir da conversa com amigos ou algum tempo lendo as várias páginas do Google, ou livros especializados. E o problema é aquele que é a dor que você vai resolver.

Se a maçã ainda não caiu na sua cabeça e você não teve nem uma ideia brilhante, melhor buscar mais informações do que realmente é o seu problema, pois quando você realmente descobre isso, 50% do caminho já está trilhado.

*Adinan Nogueira é publicitário, formado pela FAAP, mestre e professor universitário, diretor da Agência Cervantes e doutorando em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona em Lisboa, Portugal.

Publicidade