Publicidade
Davison Advogado
Em Abulia, a união entre Jesuane e Selma propõe um duelo psicológico entre luzes e sombras mentais, no qual nenhum vencedor poderá sair ileso (fotos: divulgação)

Com patrocínio DME, o Teatro Municipal da Urca de Poços de Caldas (MG) recebe, nos dias 10 e 11 de novembro, o monólogo-musical ‘Abulia’. Com dramaturgia e interpretação musical de Jesuane Salvador, o espetáculo apresenta uma montagem intrigante, que sonda os calabouços da mente humana convidando o público a desfrutar de uma noite na companhia de Catarina, em um apartamento medíocre localizado no centro de uma metrópole.

Personificada pela atriz Selma Mistura, a personagem mergulha em indagações sobre o abandono de sonhos, a realidade sufocante da invisibilidade, a solidão, a condição de total apatia vivenciada pelos “anônimos” e a ausência de si, em devaneios mentais que questionam a realidade e demonstram que viver pela metade, tornar-se um espectro de si mesmo, pode ser fatal. Com entrada gratuita, as apresentações são seguidas de um bate-papo, que aborda temas como solidão, transtornos mentais, em especial a depressão, e as mazelas da vida moderna.

‘Abulia’ é um projeto cultural viabilizado pelo Programa de Patrocínios DME com apoio da Prefeitura Municipal de Poços de Caldas e Secretaria Municipal de Cultura, produção executiva de Chiara Carvalho, e integrará a programação do “Poços É Jazz Festival”, produzido pela GSC Eventos Especiais. Serão realizadas duas sessões (dia 10 de novembro, às 21h30min, e dia 11 de novembro, às 19h30min) com entrada gratuita, sujeita à lotação do Teatro.

O espetáculo apresenta uma ligação extremamente íntima entre texto e canções que, segundo a autora, trazem à tona as divagações e sentimentos profundos da personagem. É o diálogo psíquico entre uma mulher e as máscaras sociais que dissimulam sua verdadeira identidade.

“Não pretendo, com este texto, agradar a ninguém, mas sim que nos lancemos a questões delicadas de nossa natureza humana, falha, incompleta, feita de coerência e loucura. São reflexões de uma mulher, no entanto talvez possam refletir o espelho necessário a todos nós por adentrarem abismos psicológicos que, embora sejam atravessados cotidianamente por milhares de pessoas, permanecem velados, silenciados, pois não se enquadrar pode ser perigoso, inadequado. A produção histórica da verdade rejeita como falso todo discurso oposto a esta verdade e nos obriga a copiar padrões muitas vezes insustentáveis. Assim assistimos o duelo da produção de sentidos, entre a verdade e a mentira, a racionalidade e a loucura. Penso que estas questões precisam ser discutidas, já que os padrões que criamos como adequados nos têm adoecido. Meu desejo é que repensemos a importância de laços afetivos reais e a relevância dos sonhos, do lúdico, da arte, do imaterial”, reflete Jesuane.

De acordo com a atriz Selma Mistura, a união das artistas propõe um duelo psicológico entre luzes e sombras mentais, no qual nenhum espectador poderá sair ileso.

“Catarina nos leva a uma viagem que, para muitos, não tem volta, pois o sofrimento pode conduzir a um desejo de morte, que não é o desejo de por um fim à vida, mas sim à dor. É uma reflexão que nos desperta para questões invisíveis e essenciais. Para mim, enquanto atriz, ser humano e mulher, é impossível não me identificar com o texto e a personagem. Ela penetra em nossas entranhas e nos convida à travessia de nosso próprio deserto, a uma transformação inevitável”, acredita Selma Mistura.

Sinopse

Qual eu te revela, te resume, te liberta? E que máscaras te escondem, personificam teu “eu-social” adequado, domesticado, dormente?

Não há esperanças quando a conformidade nos invade. Não há possibilidade de luta quando estamos sufocados pela máquina opressora do ‘anti-pensamento’. Em uma realidade na qual a humanidade é suprimida por um cotidiano de abstração e prazer alienante, reagir pode significar perpassar a linha entre a razão e a loucura.

Ficha técnica

Texto, concepção e voz: Jesuane Salvador

Interpretação: Selma Mistura

Piano: Jaqueline Volpi

Produção Executiva: Chiara Carvalho

Luz: Antonio Molina

Patrocínio: DME Poços de Caldas

Apoio: Prefeitura Municipal de Poços de Caldas, Secretaria Municipal de Cultura, GSC Eventos Especiais, Centro Cultural Afro-brasileiro Chico Rei

Serviço

Espetáculo cênico musical ‘Abulia’

Classificação indicativa: 14 anos.

Local: Teatro Benigno Gaiga – Espaço Cultural da Urca

Dias e horários: 10 de novembro, às 21h30 / 11 de novembro, às 19h30

Gratuito, sujeito à lotação do espaço

Informações: 35.99163-1808 / https://bit.ly/2RmMG7Z

Fonte: assessoria de imprensa