Publicidade

Dando continuidade à série de reportagens do Poços Já Política com os candidatos a deputado estadual e federal, o tema agora é a educação. De acordo com estudo realizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em 2017 o Brasil gastava anualmente R$ 11,7 mil por aluno do ensino fundamental e médio. A situação só melhora quando de trata de estudantes universitários, cuja média por aluno fica em torno de R$36 mil por ano.

Em Minas, a situação não é diferente. Com a crise houve cortes nos investimentos e, além disso, o atraso no pagamento dos servidores públicos prejudica ainda mais o setor no estado. Mesmo que o acesso à educação pública de qualidade seja desejado por todo cidadão, este cenário ainda não é realidade para todos. Diante disto, os candidatos se posicionam sobre o tema e apresentam propostas. Veja o que cada um diz:

Deputado Estadual

Regina Cioffi (PHS)

Não existe desenvolvimento humano e social sem educação. Fundamental a valorização dos professores, propiciar dignidade para o exercício dessa nobre profissão, esse é o grande diferencial para a educação de qualidade e também fornecer a estrutura adequada para instrumentalizar o ensino. Sou adepta de ser reinstituído na grade programática a matéria “moral e cívica”, importante para formação através de conceitos éticos e de cidadania das crianças e adolescentes. O país somente avançará no desenvolvimento por meio da educação e do conhecimento.

Rose Meire Donizetti (PDT)

Foto: divulgação

Precisamos inverter a pirâmide educacional. Segundo o jornal G1, 51% dos alunos da UFMG em 2014 eram da alta classe. A educação pública para o ensino fundamental e médio no Brasil é inaceitável. Com maiores investimentos inverteremos este absurdo.

Ulisses Guimarães (PTB)

O desafio é a QUALIDADE do ensino. Assegurar um ensino de qualidade depende do comprometimento de políticos, pais, professores e comunidade escolar. Experiências de outros países mostram que a escola de tempo integral e a integração das famílias com a escola são um passo importante. Há que se equilibrar os investimentos e priorizar a base antes de tudo. Não tenho dúvidas de que a maior parte de qualquer orçamento público deva ser aplicada na educação. Fiz isso como prefeito, sei que é possível e os resultados são maravilhosos. Não há outro caminho para resolver a maioria dos problemas do nosso país que não passe por investir maciçamente em educação.

Amauri Barreiro (PMN)

Vejo a importância de aumentar o investimento na educação, pois apenas 60% do previsto foi investido. Investir na valorização dos educadores, pois somos o penúltimo lugar no ranking internacional sobre valorização social do professor. Claramente existe a necessidade não apenas de corrigir os baixos salários, mas resgatar a dignidade, o respeito e a segurança no exercício da profissão. Olhar diferenciado principalmente para o ensino fundamental, pois cuidar bem do “começo da vida” faz toda a diferença para “toda a vida”.

Fábio Rocha (PCdoB)

A educação não pode ser entendida apenas como formação escolar. A Educação deve ser um compromisso de toda a sociedade com as futuras gerações. Vamos trabalhar para a ampliação da Rede Estadual de Educação na região, buscando atender regiões carentes de acesso ao Ensino Médio. Por outro lado, iremos fomentar a construção e a valorização de espaços não formais de educação, como os museus de ciências e de artes, zoológicos e jardins botânicos – com vistas a uma educação integral de nossos cidadãos.

Deputado Federal

Carlos Mosconi (PSDB)

É um dos maiores problemas do Brasil, a educação deficiente oferecida à população. Os recursos orçamentários para a educação devem e precisam ser muito maiores, ainda que retirados de outros setores, e é necessário fazer um estudo para colocar isso em prática. A qualidade da educação oferecida nos primeiros anos de vida deve ser prioridade. É fundamental estabelecer a educação em tempo integral, com ensino, alimentação, esporte, saúde e atividades culturais e de lazer.

Gabriel Vilas Boas (PDT)

Sem dúvida nenhuma a educação deve ter toda a atenção do legislativo e do executivo. Uma sociedade sem o devido atendimento escolar irá sucumbir diante da violência, da pobreza e do atraso. Uma educação seria sem rótulos, sem religião, sem partido político e sem discriminação e o que precisamos para termos uma sociedade justa e igualitária.

Maria Cecília Opípari (PT)

O investimento na educação é muito baixo. A evasão escolar também tem sido um grande problema e está atrelada a fatores como baixa qualidade do ensino, dificuldade de acesso e falta de melhorias estruturais. Temos que trabalhar com políticas públicas que visem ao aprimoramento e à valorização dos professores, bem como ao incentivo aos alunos a buscarem a formação escolar. Lutar para que os investimentos sejam ampliados e que todas as conquistas que foram implementadas (PROUNI, PRONAC, ENEM, entre outras) sejam mantidas, melhoradas, trabalhar efetivamente contra retrocessos da PEC 241 e lutar para reverter os cortes feitos das bolsas do CAPES e CNPQ, o que comprometerá e muito as pesquisas no país.