Publicidade

O serviço de transporte funerário foi novamente questionado na Câmara dos Vereadores, desta vez durante a sessão ordinária da última terça-feira (17). Os vereadores Paulo Tadeu e Maria Cecília Opípari, ambos do PT, apresentaram um requerimento solicitando diversas informações sobre as atividades do setor.

Os parlamentares alegam que receberam algumas informações e reclamações de que o número de traslados realizados por veículos públicos tem sido reduzido e, em razão disto, aumentado o número de traslados feitos por empresas particulares.

No requerimento, eles indagam sobre a quantidade de veículos funerários que possui o município, quantos traslados, locais ou não, foram realizados nos últimos 90 dias por veículos da funerária municipal e quantos foram realizados por empresas particulares neste mesmo período.

“Nós recebemos aqui na Câmara algumas reclamações sobre isto, por isso estamos, a partir desse requerimento, buscando confirmar ou não essa informação. Esperamos que não se confirme, mas caso sim, que a gente possa tomar medidas e encaminhar soluções para esse problema  sobretudo para a  população que tem mais dificuldades e que acaba eventualmente sendo obrigada a gastar com traslados que o próprio município fazia com valores bastante reduzidos”, comenta Paulo Tadeu.

A lei nº 3525/84 estabelece que o serviço funerário municipal é de cargo exclusivo da prefeitura e dentre as atribuições mencionadas está a de que o transporte fúnebre, observadas as exigências legais, por ruas do município e estradas de rodagem desta cidade para outra, é de responsabilidade da Funerária Municipal.