Publicidade
Segundo dr. Carlos Aterje, em alguns casos a recuperação é de 100%

O descolamento de retina pode ser considerado um problema dos mais graves entre os que afetam a visão. Por isso, é de extrema importância entender sua causa, os sintomas e também os tratamentos.

O médico oftalmologista Carlos Aterje explica que a retina é uma fina membrana localizada no fundo do olho. Ela é responsável pela captação da imagem, que é transformada em estímulo nervoso e chega ao cérebro através do nervo óptico.

O descolamento da retina pode ocorrer por diversos fatores, como o alto grau de miopia, traumatismo (ocular, craniano ou cirúrgico) e diabetes.  Geralmente acontece quando toda esta membrana ou parte dela se desprende da parede interna e posterior do olho. Quando o gel vítreo, que fica dentro do órgão, se separa da retina bruscamente, causa uma rasgadura.

Os principais sintomas do descolamento de retina são: pontos ou manchas escuras na visão,  conhecidos como ‘moscas volantes’;faíscas ou flashes de luz parecidos com relâmpagos,  percebidos no campo de visão; perda súbita completa ou de parte do campo de visão. Dr. Aterje explica que, no caso dos dois primeiros sintomas, é possível fazer o tratamento preventivo com aplicação de laser.  “Quando a pessoa começa a ver esse ‘relâmpago’ é sinal de que a retina pode descolar, então o paciente deve procurar o médico e fazer o laser preventivo. Isso pode ser feito também em caso de miopia de grau elevado, pois o laser previne o possível descolamento da retina.”

O tratamento é feito cirurgicamente com aplicação de gás, em casos de descolamento pequeno, superior, ou injeção de óleo de silicone para casos mais graves, de descolamento inferior. “A recuperação da cirurgia de deslocamento de retina é lenta e o prognóstico é de recuperação parcial da visão, mas nos casos de descolamento pequeno, onde usamos o gás, a recuperação é 100%,” finaliza dr. Aterje.

O Centro Oftalmológico Carlos Aterje fica na rua Ceará, 188. O telefone é 3722-2808.

Publicidade
Davison Advogado