Parlamentar quer informações sobre economia de recursos públicos.

A economia de recursos públicos tem sido tratada como primordial desde que o prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) assumiu a administração municipal, em janeiro deste ano. No entanto, os cortes de convênios e readequação de alguns dos serviços prestados pelo Executivo não tiveram resultados efetivos, como afirma o vereador Paulo Tadeu (PT).

Durante a última sessão ordinária da Câmara Municipal, o parlamentar fez um pedido de informações sobre a contenção de gastos da Prefeitura no primeiro semestre de 2017. “Posso observar que, do ponto de vista dos resultados orçamentários e financeiros do município, não há resultado efetivo de redução de custos no conjunto da administração municipal”, afirmou.

De acordo com Tadeu, o requerimento foi motivado por estudos que tem feito regularmente nos balancetes encaminhados pelo Executivo à Câmara. “Pelo contrário, há um comprometimento muito grande do orçamento já no primeiro semestre. Quero uma informação mais concreta a respeito de diferentes áreas e quanto, de fato, está sendo economizado. Eventualmente, o efeito publicitário da economia pode ser muito positivo para o governo, mas o efeito negativo para a população é muito grande”, concluiu.

Serviços Públicos

Em pé de guerra declarado com o secretário de Serviços Públicos, Thiago Biagioni, Paulo Tadeu apontou uma série de falhas na pasta, que considera estar equivocada ao acabar com alguns serviços a fim de reduzir gastos.

Segundo o vereador, a varrição nos bairros é um dos trabalhos que Biagioni resolveu cortar. “[Os bairros] só serão varridos quando solicitados pela população. Isso é um retrocesso inimaginável. Uma visão administrativa absolutamente entorpecida e míope, na medida que a varrição não é apenas questão estética, mas também de saúde pública”, finalizou.

Poços Já Política entrou em contato com Biagioni. Ele informou que o serviço de varrição de bairros foi readequado e repassado para servidores públicos municipais, gerando economia de R$ 200 a R$ 250 mil por mês. “Em agosto do ano passado, a Vina, que era responsável por esse serviço de varrição, recebeu R$ 222 mil por 3,4 mil quilômetros varridos. Todo esse trecho hoje é varrido por servidores próprios da Prefeitura que foram remanejados, alguns estavam atuando no Cemitério, nas praças e em parques”, explicou.

Além disso, o secretário ressalta que atualmente existem cerca de 30 funcionários responsáveis pela limpeza nos bairros. “Temos três equipes, de dez pessoas cada, que fazem diariamente o rodízio de limpeza nos bairros. A população tem elogiado bastante isso, dizendo que está até muito melhor do que era antigamente”, ressalta.