sexta-feira , 28 julho 2017
Últimas Notícias
App Poços Já

Tati Bernardi: “Tá todo mundo pirado com a ansiedade”


Evento aconteceu no Espaço Cultural da Urca (foto: divulgação).

Textos em primeira pessoa. Exposição da vida pessoal, da família e dos ex-namorados. Exagero. Quem conhece a escrita de Tati Bernardi, logo percebe que a publicitária e roteirista não tem medo de apresentar sua visão sobre o que quer que seja, especialmente sobre o amor, tema do bate-papo em que participou no último sábado (6), durante o Festival Literário de Poços de Caldas (Flipoços).

Ao lado do também escritor Jacques Fux, Tati discutiu sobre o amor e seu último livro publicado pela Companhia das Letras, Depois a louca sou eu. Em entrevista com a autora durante a tarde, ela revelou sobre o conteúdo da obra. “É um livro de humor, em primeira pessoa, eu estou falando de mim. Obviamente tem exagero, é um pouco de ficção, mas toda historia ali, mesmo que em menor grau, aconteceu. É sobre isso. Sobre a gente estar maluco, tomando tarja preta, principalmente quem mora em São Paulo, Rio de Janeiro, centros mais urbanos. Todos os meus amigos estão tomando alguma coisa, vão tomar ou já tomaram e é um livro sobre isso, tá todo mundo muito pirado com a ansiedade”, explica.

Acostumada a escrever sobre decepções amorosas e experiências próprias, Tati garante que a maioria do que é encontrado em seus textos está bem próximo de sua realidade atual. “Tem sempre uma base de coisas que eu vivi ou que eu vi pessoas próximas vivendo. A parte que eu chamo de ficção é a parte do exagero, para dar humor, para dar o tom. Eu tenho um estilo de escrever bem exagerado, essa parte que eu costumo dizer que é ficção. Mas é uma autoficção. Digamos que mais da metade seja ou verdade ou muito próximo da verdade”, conclui.

Seus textos ainda podem ser encontrados no jornal Folha de São Paulo, em que tem coluna fixa todas as sextas-feiras. Tati também aproveitou a oportunidade para falar sobre seu processo de escrita. “Tem semana que na segunda-feira eu já escrevi o texto, tem semana que falta 20 minutos para entregar na quinta e eu ainda não escrevi. Eu gosto muito de escrever em primeira pessoa, falar de mim. Eu tomo muito cuidado para não fazer isso sempre, mas eu também acho que não é nenhum problema, porque quando eu falo de mim, quando eu me exponho, na verdade eu estou falando de várias pessoas. Não só da minha idade, não só mulheres, não só de São Paulo. Porque eu trato de temas muito universais, como ciúme, saco cheio. Eu evito, mas eu escrevo sobre o que eu acho que está acontecendo com política, com economia, eu arrisco porque eu não fiz nenhuma faculdade disso”, finaliza.

O vídeo do bate papo com Tati Bernardo e Jacques Fux pode ser visto na página oficial do Flipoços no Facebook.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.