Publicidade
Manifestação seguiu pelas principais ruas do Centro.

Professores das redes pública e particular de ensino de Poços de Caldas se reuniram, na tarde desta quarta-feira (15), para protestar contra a reforma da Previdência Social, proposta pelo governo Temer. Com partida da Praça Pedro Sanches, os manifestantes seguiram em passeata pelas principais ruas do Centro com cartazes, carro de som e panfletos que foram entregues à população.

De acordo com a representante do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro), Rosana Mari Silva Faro, a mobilização acontece, simultaneamente, em várias capitais e cidades do interior. “A proposta da reforma já foi apresentada pelo governo Temer. Nós estamos manifestando em todo país contra essa reforma porque a gente sabe que ela vai vir para desmontar de vez o direito do trabalhador à aposentadoria”, explica.

Rosana ainda ressaltou que os impactos da nova proposta são ainda mais severos para os professores, tanto da rede pública, quanto da particular. “No caso do professor a situação é ainda mais complicada porque nós tínhamos uma aposentadoria de 25 anos. Mesmo com o fator previdenciário, essa aposentadoria dava ao professor o direito de se aposentar com 25 anos do efetivo exercício de magistério. Hoje o professor terá que trabalhar no mínimo 49 anos e ter 65 anos de idade para poder aposentar. Existem alguns casos em que o professor estava para se aposentar e vai ter que trabalhar, no mínimo, mais 15 anos”, relata.

Segundo os manifestantes, a paralisação pode tornar-se uma greve sem prazo para acabar. “Esse daqui é um indicativo para uma greve que deve durar mais tempo. Hoje é uma paralisação, a gente vai ta tentando mobilizar os trabalhadores para que esta greve se estenda por um prazo indeterminado”, finaliza Rosana.

Professores se concentraram no Coreto para iniciar caminhada.

PEC 287/2016

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287/2016, enviada pelo governo Temer ao Congresso Nacional em 5 de dezembro do ano passado,  altera os artigos 37, 40, 42, 109, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição Federal, modificando o sistema de Seguridade Social estabelecido pela Carta Magna.

Dentre as principais mudanças propostas estão a elevação da idade da aposentadoria para 65 anos e exigência de tempo mínimo de 25 anos de contribuição com o INSS.

Publicidade
Davison Advogado