sábado , 27 maio 2017
Últimas Notícias

Cirurgias de pálpebras e botox na oftalmologia

Segundo médico oftalmologista Carlos Aterje, procedimentos são rápidos e o resultado fica ainda melhor se associado ao botox.


SONY DSC
Médico oftalmologista Carlos Aterje e equipe.

Todos nós sofremos com a ação do tempo e cada organismo responde de uma maneira. Nossos olhos também sofrem com o passar dos anos e os componentes que compõe sua estrutura também podem atrapalhar a visão e comprometer a estética do rosto. Provavelmente você já viu ou notou a formação de bolsões na pálpebra inferior, ou pessoas que os olhos ficam quase fechados devido ao crescimento da pálpebra superior. Esse crescimento pode comprometer o campo de visão e a funcionalidade do olho, o deixando mais sensível. Esses problemas podem ser resolvidos de maneira simples e rápida com cirurgia ou aplicação de botox. Quem explica esses procedimentos é o médico oftalmologista Carlos Aterje.

“Esse é um processo natural do envelhecimento. Com o passar dos anos vão se formando as bolsas palpebrais, que nada mais são que as bolsas de gorduras que se acentuam com a flacidez dos tecidos na parte de baixo dos olhos. Não é possível prevenir, pois esse tipo de problema é uma tendência da genética da pessoa e familiares. Nesses casos a única solução é o procedimento cirúrgico, que é rápido e seguro. A cirurgia demora em média 40 minutos em cada pálpebra, e a cicatrização é muito rápida, deixando uma marca imperceptível, pois fica bem próximo aos cílios”.

Centro Oftalmológico Carlos Aterje fica na rua Ceará, 188, Centro
Centro Oftalmológico Carlos Aterje fica na rua Ceará, 188, Centro

Já o crescimento das pálpebras superiores resulta em problemas sérios, reduzindo o campo de visão da pessoa. “Nesse caso o excesso de pele, chamado dermatocalaze, reduz o campo de visão, principalmente a visão lateral, causando esbarrões frequentes, sendo esse um problema perigoso para dirigir. Essa situação também é resolvida apenas com a cirurgia plástica feita pelo oftalmologista. Assim como nas pálpebras inferiores, o procedimento é bem seguro. A cirurgia é mais rápida, em torno de 15 minutos cada pálpebra. A recuperação também é mais ágil, deixando uma cicatriz muito discreta. A única contraindicação existente nos dois casos é para quem sofre de hipertireoidismo e possui exoftalmia, que são os olhos saltados para fora, e mesmo quem tem problema de queloide pode ficar tranquilo, pois pálpebras não têm esse tipo de má cicatrização”.

O pós-operatório é bem tranquilo nos dois casos. Em geral dois dias após a cirurgia a pessoa está apta a retomar suas atividades. Recomenda-se o uso de compressa com gelo e o uso de antibióticos. Logo após a cirurgia alguns pacientes ficam com os olhos inchados e roxos, situação que se recupera em uma semana. Ainda, sugere-se sempre evitar situações de contato com poeiras e coçar os olhos.

O tratamento geral pode ser ainda associado ao botox. Essa combinação traz um resultado bastante positivo para a pessoa, tanto para recuperar o campo de visão, quanto para alcançar um rejuvenescimento completo da face. “Podemos realizar esse procedimento 15 dias antes ou 15 dias depois da cirurgia. Poucas pessoas sabem, mas o uso do botox na oftalmologia ocorre há muitos anos e é usado tanto para fins estéticos, quanto para correção de estrabismo, espasmos de pálpebras e corrigir manias que as pessoas tem de ficar apertando as pálpebras piscando com força”.

O Centro Oftalmológico Carlos Aterje fica na rua Ceará, 188, segundo andar. Mais informações pelo telefone (35) 3722-2808.

(Fonte: Revista Clínica)

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.