Publicidade
O urologista Cláudio Fernandes negou as acusações.
O urologista Cláudio Fernandes negou as acusações.

Os médicos presos pelo Caso Pavesi foram soltos na noite desta sexta-feira (7), por volta das 22h, após o Tribunal de Justiça de Minas Gerais ter concedido o habeas corpus. Familiares e amigos esperavam do lado de fora do presídio e aplaudiram a saída dos réus.

Os urologistas Celso Scafi e Cláudio Fernandes foram presos dia seis do mês passado. Eles são acusados de terem retirado irregularmente as córneas e rins de Paulo Pavesi, no ano 2000.

Após se encontrar com as pessoas que o esperavam, Cláudio Fernandes falou com a imprensa e negou as acusações. “Eu sou inocente. Se tudo isso que foi feito em transplante aqui é ilegal, então no Brasil inteiro é ilegal. Todos esses procedimentos são considerados normais”.

Celso Scafi foi solto após o TJMG ter concedido o habeas corpus.
Celso Scafi foi solto após o TJMG ter concedido o habeas corpus.

Celso Scafi apenas confirmou a declaração do colega. “Acompanho o que ele falou”, disse. O anestesista Sérgio Gaspar continua foragido.

Cláudio e Celso já haviam sido condenados por outro caso, referente ao paciente José Domingos de Carvalho, cujos órgãos foram retirados em 2001. Durante o período no presídio, o Tribunal de Justiça reduziu a sentença de oito para cinco anos e determinou que a pena fosse cumprida em regime semi-aberto. Cláudio preferiu não se manifestar sobre este caso. “Não sei as coisas todas que aconteceram no tempo que fiquei aqui dentro. Não tenho todas as informações”.