Colheita termina em setembro
Colheita termina em setembro

As chuvas recentes tem atrapalhado a produção do café em Poços de Caldas. Os grãos que tomam chuva no terreiro perdem a qualidade e provocam queda no preço. Esse é um dos motivos do baixo valor da saca do café tipo 6, que varia entre R$251 e R$276, de acordo com o Centro do Comércio de Café do Estado de Minas Gerais.

A Assodantas, Associação dos Agricultores Familiares do Córrego D’antas, agrega 68 cafeicultores que devem produzir 4.000 sacas em 2013. A produção atual é maior que a do ano passado, mas ainda é considerada como média pelo presidente da associação, João Piva. “Em 2012 foram 3.000 sacas de café. Nesse ano a produção deveria ser maior, mas as chuvas atrapalharam.Perdemos cerca de 15% do que era previsto.”

O período chuvoso prejudica a qualidade do grão, principalmente quando está no terreiro. O que ajuda os produtores da Assodantas é a certificação Fair Trade, que aumenta o preço da saca em até R$30. O primeiro lote será vendido dia 25 de junho.

Colheita

A colheita começou em maio e vai até setembro. Mas a mão-de-obra continua sendo um problema para os produtores. De acordo com João Piva, os trabalhadores ganham em média R$10 por 60 litros de café colhidos. A maioria não tem experiência e acaba causando danos. “Muita gente vem só para ganhar dinheiro e destrói o pé de café. Tem que ter experiência para não prejudicar a produção”, explica o presidente da Assodantas.

Melhorias

Depois de conseguir a certificação, os cafeicultores do Córrego D’antas tem mais um objetivo: a construção de um armazém próprio. Atualmente, a produção é enviada para um armazém particular, o que gera um custo de cerca de R$30 por saca. O financiamento já foi aprovado e as obras devem começar em breve, com previsão de término até o final do ano.